UFC® VOLTA À BRASÍLIA COM NOCAUTE DE CRIS CYBORG SOBRE LINA LANSBERG

UFC® VOLTA À BRASÍLIA COM NOCAUTE DE CRIS CYBORG SOBRE LINA LANSBERG

Foto: Marcio Valle/Primeiro Round

Os fãs brasilienses do UFC® tiveram motivos de sobra para comemorar neste sábado, dia 24 de setembro. 10 brasileiros saíram vitoriosos do UFC Fight Night Brasília: Cyborg x Lansberg, realizado no Ginásio Nilson Nelson, na capital federal. Na luta principal da noite, Cris Cyborg conquistou um grande nocaute em cima da sueca Lina Lansberg, aos 2:29 do segundo round. Além dela, Vicente Luque, Alan Patrick, Erick Silva, Jussier Formiga, Rani Yahya, Michel Prazeres, Godofredo Pepey, Francisco Trinaldo e Renan Barão saíram vencedores. Vicente Luque e Eric Spicely foram premiados pelos seus desempenhos. E a luta entre Erick Silva e Luan Chagas foi eleita a melhor da noite. Cada lutador levará U$ 50 mil para casa. Em sua segunda vez como casa do UFC em Brasília, o Ginásio Nilson Nelson teve lotação esgotada.

Durante a coletiva, o presidente do UFC® no Brasil Giovani Decker anunciou o próximo evento do UFC® no país. O Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, recebe a organização no dia 19 de novembro, com o brasileiro Rogério Nogueira “Minotouro” enfrentando o sueco Alexander Gustafsson na luta principal. Outras seis lutas desse evento também foram anunciadas na madrugada deste domingo, dia 25.

Peso Médio: Thales Leites x Krzysztof Jotko

Peso Galo: Johnny Eduardo x Manny Gamburyan

Peso Pesado: Luis Henrique x Christian Colombo

Peso Meio Pesado: Marcos Pezão x Gadzhimurad Antigulov

Peso Mosca: Matheus Nicolau x Ulka Sasaki

Peso Meio-Médio: Sergio Moraes x Michael Graves

Confira os que os lutadores do UFC® Fight Night Brasília: Cyborg x Lansberg falaram sobre suas lutas:

Cris Cyborg

“A Lina é muito forte no muay thai, então ela queria manter a luta em pé. Eu aproveitei e levei para o chão, quis mostrar para ela um pouco do meu jiu-jitsu. Sobre a minha categoria, eu já tenho dois cinturões na minha casa. Agora eu quero é fazer super lutas para os meus fãs. “

Lina Lansberg

Eu só quero agradecer ao UFC. A Cris é incrível. Eu poderia ter feito uma luta um pouco melhor, foi uma luta dura, mas eu só tenho a agradecer.

Renan Barão

“Luta dura, precisei dos três rounds para conquistar a vitória. Eu acho que da próxima vez estarei mais confiante. Estou me sentindo totalmente confortável nessa divisão.  “

Phillipe Nover

“Eu não fiquei totalmente satisfeito com a minha performance, mas achei que poderia ter sido uma decisão dividida, tenho que assistir. Eu acho que consegui bons golpes, meu gancho esquerdo o acertou muitas vezes. Vivendo e aprendendo. Foi uma grande experiência, estou correndo atrás dos meus sonhos. Obrigado ao Brasil por ter me recebido. “

Roy Nelson

“É isso que a gente faz. Lutamos, nocauteamos e damos um show para os fãs. Assim que eu o acertei, eu soube que a luta havia acabado. Mas eu tive que acertá-lo mais seis vezes, e eu não acho que ele precisava disso. “

Antônio Pezão

“Peso pesado é assim. É muito rápido, não tem como o juiz saber se estamos bem ou não. Méritos para o Roy que já provou ser um grande nocauteador. Acho que ganhei o primeiro round e estava ganhando o segundo. Mas luta é luta. “

Francisco Massaranduba

“A gente sempre acha que poderia ter lutado melhor, mas estou feliz com a vitória. Eu poderia ter conseguido um nocaute melhor no terceiro round, mas venci, a torcida gostou e no final é isso que importa. “

Thiago Marreta

“Eu senti a coxa na hora em que o joguei contra a grade. E acabei caindo. “

Eric Spicely

“Ele é um dos caras mais duros da divisão, e eu fui lá e o derrotei. É assim que gosto de trabalhar. Significa o mundo para mim estar aqui no Brasil e poder lutar aqui. Eu fiz parte do The Ultimate Fighter como parte do Time Claudia Gadelha e tive a oportunidade de trabalhar com treinadores incríveis daqui. Eu quero voltar, treinar aqui e aproveitar mais desse país. “

Godofredo Pepey

“Mais uma finalização, treinei muito, escutei meu corner, deu tudo certo. Foi uma grande luta, estou muito feliz. Agora eu quero um Top 10, acho que chegou a minha vez. “

Mike De La Torre

“Ele me pegou e ficou difícil para recuperar. Ele fez um grande trabalho. “

Gilbert Burns

“Eu deixei ele confortável, não me movimentei como eu deveria. O primeiro round foi bem igual, mas deixei ele crescer a partir do segundo. Agora é hora de corrigir os erros, trabalhar, treinar duro e melhorar. “

Michel Trator

“Eu fiz campanha nas redes sociais para lutar nesse evento e mostrei o porquê. O Durinho é um grande lutador, sou fã dele, mas nunca pode menosprezar um atleta. Ele disse que era uma F100 e que eu era um carro popular. Hoje, o carro popular bateu a F100. “

Rani Yahya

“Não gostei da minha performance, eu cansei muito no começo quando encaixei o katagatame, deixei toda a minha força ali. Sai com os braços muito cansados, gastei muita força para derrubá-lo. Passei a jogar pelo resultado, eu queria sair daqui com o braço levantado. “

Jussier Formiga

“Eu poderia ter feito melhor, mas ele se defendeu muito bem. Agora eu quero descansar um pouco e lutar de novo no ano que vem. Quem eles me derem eu estarei satisfeito, mas se eu puder escolher, podem me trazer o campeão. ”

Dustin Ortiz

“Eu concordo 100% com o resultado. Estou 100% confortável com isso? Não, não mesmo. Ele fez tudo o que podia para não perder. Ele não tentou finalizar, não quis fazer uma luta empolgante. Ele venceu, mas foi tudo o que ele fez. “

Erick Silva

“Todo o esforço que eu vivi com o meu time valeu a pena esta noite. Eu estou de volta, estou pronto para encarar uma nova jornada na minha carreira. Eu decidi que tudo o que foi passado foi aprendizado. Mas sinto como se estivesse começando do zero. É um novo Erick e hoje foi apenas o começo. ”

Alan Patrick

“Usei a estratégia que treinei, colocar pra baixo. A gente imaginou que ele não ia aguentar a pressão e não aguentou mesmo. Eu queria ter finalizado, usado meu jiu-jitsu, até para garantir um bônus de performance. Mas estou feliz, uma vitória é uma vitória.”

Stevie Ray

“Agora é de hora assistir a luta, ver o que aconteceu e, espero, voltar o mais breve possível.”

Vicente Luque

“Meu plano era levar a luta para trocação, é algo que eu estou evoluindo cada vez mais. Sabia que meu oponente também vinha para isso. Não tem nada melhor do que finalizar uma luta com nocaute. Eu quero continuar lutando contra adversários fortes. O cenário perfeito seria lutar contra um Top 15 na próxima. Eu luto em qualquer lugar, contra qualquer um. Me deixem descansar umas duas semanas e estarei pronto para outra.”

Glaico França

“Eu não consegui fazer o que havia planejado. Acho que agora é hora de pensar em uma subida para os meio-médios (77kg). Eu corto muito peso e acho que posso me dar melhor em outra categoria. O Thiago Marreta é um exemplo de que subir de categoria pode ser muito bom para um lutador. Espero repetir o exemplo.”

Gregor Gillespie

“Foi uma experiência incrível, muito melhor do que eu imaginava que seria. Eu normalmente não me emociono depois de vitórias, mas essa foi minha primeira luta pelo UFC. Eu só tive a minha primeira luta profissional há dois anos e desde o primeiro dia eu sonhava em vir para o UFC.”

 

Resultados da noite:

Gregor Gillespie derrotou Glaico França por decisão unânime

Vicente Luque derrotou Hector Urbina por nocaute aos 1:00 do R1

Alan Patrick derrotou Stevie Ray por decisão unânime

 

Erick Silva derrotou Luan Chagas por finalização aos 3:57 do R3

 

Jussier Formiga derrotou Dustin Ortiz por decisão unânime

 

Rani Yahya derrotou Michinori Tanaka por decisão unânime

 

Michel Prazeres derrotou Gilbert Burns por decisão unânime

 

Godofredo Pepey derrotou Mike De La Torre por finalização aos 3:03 do R1

 

Eric Spicely derrotou Thiago Marreta por finalização aos 2:58 do R1

 

Francisco Trinaldo derrotou Paul Felder por nocaute técnico aos 2:25 do R3

 

Roy Nelson derrotou Antônio Pezão por nocaute aos 4:10 do R2

 

Renan Barão derrotou Phillipe Nover por decisão unânime

 

Cris Cyborg derrotou Lina Lansberg por nocaute técnico aos 2:29 do R2

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Natural de São Paulo, Aline começou a assistir MMA durante o auge do Pride no início de 2000. Em 2012, depois de assistir o UFC 134 no Rio de Janeiro e o UFC 146 em Las Vegas, Aline foi convidada para contar sua experiência à Revista Tatame. E assim começou a sua carreira como colunista, redigindo artigos, realizando entrevistas para veículos nacionais e internacionais.r. É formada em Desenho Industrial pela FAAP e também tem uma empresa de marketing digital.

Notícias relacionadas