Olhar do Fernando: O primeiro semestre foi pra conta!

Olhar do Fernando: O primeiro semestre foi pra conta!

Foto: reprodução

O primeiro semestre de 2014 não deve ter sido muito fácil para o Ultimate Fighting Championship. A organização conseguiu se virar nos 30 e  produziu combinações de duelos que chamaram a atenção do público, mesmo quando quatro dos nove campeões do UFC estavam (ou ainda estão) afastados do octógono. Mesmo assim o primeiro semestre foi bem agitado levando em conta a maior rivalidade entre dois técnicos no The Ultimate Fighter 3 - Silva x Sonnen. Era uma receita fantástica para a venda de Pay Per View naquela edição, que daria o desfecho (ou apenas o começo) de um duelo dentro e fora do octógono.

No primeiro semestre pudemos conhecer um Jon Jones – ainda mais brutal e resistente com novos ataques de cotovelo e com movimentos ainda mais inesperados. Porém alguns críticos e fãs ficaram insatisfeitos com a forma que Jones achou para aproveitar de sua vantajosa envergadura contra Glover Teixeira. Por vários momentos no combate o americano esticava o braço até o rosto de Teixeira, impedindo-lhe a visão. O árbitro Dan Maragliota ainda interrompeu a luta por 2 vezes para advertir o lutador verbalmente sobre uma possível perda de ponto. O confronto foi para decisão dos juízes e Bones manteve o título dos meio- pesados.

Outra defesa de cinturão que deixou os brasileiros acordados até tarde para assistir foi a luta entre José Aldo contra Ricardo Lamas com uma vitória técnica e precisa do brasileiro. O êxito mostrou que o novo Aldo – técnico e calculista –  definiu sua nova forma de combate. Mesmo sendo alvo de algumas críticas feitas pelo presidente do UFC, Aldo continua focado em manter seu título de uma forma precavida, sem firulas  e sem altos e baixos. Já Barão, parceiro de treino de José Aldo, defendeu o título por duas vezes neste ano. Uma defesa positiva foi contra o californiano Urijah Faber, onde liquidou o adversário logo no inicio da luta,  e um revés contra TJ Dillashaw, perdendo sua invencibilidade de quase dez anos. A revanche está marcada no UFC 177, onde Barão, dessa vez como desafiante, tenta tirar T.J do trono dos “Leves”.

Outro título que mudou de dono foi o da categoria de George St. Pierre – GSP abdicou o cinturão dos médios. Após o cinturão ficar sem dono, Johny Hendricks passou por Robbie Lawler com um triplo 48-47 e ficou no topo da categoria. Hendricks, que particularmente  se considerava campeão ao ser derrotado de maneira duvidosa em seu último combate contra GSP, cumpriu sua promessa e conquistou o cinturão, apesar de muitos acharem que Lawler deveria ter levado a luta.

The Oscar goes to…

Sem dúvida a campeã  peso galo feminino, Ronda Rousey foi o grande destaque do primeiro semestre. Ela quebrou todos os argumentos de quem ainda tinha dúvidas de sua capacidade no mundo do MMA. Ronda lutou três vezes nos últimos sete meses e venceu de forma absoluta em todos os combates. Uma curiosidade sobre a campeã é que nesse período de 7 meses, além das três lutas feitas pelo UFC, Rousey ainda reservou um tempo para gravar uma ponta no filme “Os Mercenários 3″.

Aqui vão 3 momentos cruciais que marcaram cada luta da campeã  neste período. Será que alguém consegue superar estes números nos próximos 6 meses?

UFC 170 - Joelhada certeira no rim de Mcmann. Esse golpe fez a desafiante desabar e ficar totalmente vulnerável. Ali foi-se encerrado o combate. O combate durou 66 segundos.

UFC 170 – Joelhada certeira no rim de McMann. Esse golpe fez a desafiante desabar e ficar totalmente vulnerável. Ali foi-se encerrado o combate. O combate durou 66 segundos.

UFC 168 - Momento em que Ronda Rousey recusa-se a cumprimentar Miesha Tate após a luta. A loira alega que ali não era hora de se conciliar, já que o desafeto das duas vem de tempos atrás. Este foi o primeiro combate que a campeã finalizou apenas aos 58 segundos do 3 round.

UFC 168 – Momento em que Ronda Rousey recusa-se a cumprimentar Miesha Tate após a luta. A loira alega que ali não era hora de se conciliar, já que o desafeto das duas vem de tempos atrás. Este foi o primeiro combate que a campeã finalizou apenas aos 58 segundos do 3 round.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

UFC 175 - Alex Davis aguentou apenas 16 segundos de luta. Após uma trocação entre as duas, Ronda aplicou uma queda, caindo exatamente nesta posição (da foto), onde aplicou inúmeros socos até a intervenção do árbitro. O combate durou apenas 15 segundos.

UFC 175 – Alex Davis aguentou apenas 16 segundos de luta. Após uma trocação entre as duas, Ronda aplicou uma queda, caindo exatamente nesta posição (da foto) e desferiu inúmeros socos até a intervenção do árbitro. O combate durou apenas 15 segundos.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone

Fernando Cesar é profissional de rádio e TV e atua como locutor da Rádio Transamérica em São Paulo. Já praticou Judô, Tae Know Do, boxe e atualmente é atleta de Jiu Jitsu da equipe Godoy e hoje em dia se prepara para disputar campeonatos pela FPJJ. Amante declarado do esporte, Fernando começou a escrever sobre o mundo do MMA desde o UFC 126, duelo que marcou a vitória de Anderson Silva em cima de Vitor Belfort.

Notícias relacionadas

  • Gabriel Zambianco

    Show de bola, em poucas linhas um resumo fiel de tudo que ocorreu no 1º semestre! Com ctz a Ronda roubou a cena do MMA feminino e duvido que exista alguém que consiga fazer frente, por enquanto!